Hoje




É madrugada.

Há silêncio no ar.

Por um instante,

o soluço parou

a tristeza dormiu

e o pranto cessou.

Na barra do novo dia
brilha sorridente o sol da Alegria.

O ventre da Terra se contraiu,
a Natureza gemeu em santo parto,
reuniram-se todos os átomos
da força energética da vida...

O Pai é o parteiro presente;
anjos e mulheres o auxiliam.
Os guardas, homens armados,
cochilam frágeis e inofensivos.

Poderosos: sacerdotes, Herodes, Pilatos...
Com remorso no estômago, sofrem pesadelos.

O túmulo rompeu-se e a pedra rolou!
Eis de pé, vitorioso, o Renascido!
Do infinito parto da Natureza e do Céu
ressurge livre, vencedor,
o Filho Amado;
ontem matado e enterrado.

Termina, enfim,
a cansativa teimosia
entre o homem
e seu Criador.

Alguns lençóis,
placentas inúteis, restos da morte
que agoniza, faixas manchadas do pecado vencido,

voam pelo ar, no chão em festa, feito jardim,
por onde passeia, sorridente,
o Jardineiro imortal.

Tudo é surpresa e espanto
tudo é certeza e encanto.
Os convidados e seguidores cantam

Aleluia!

Maria, mulher símbolo,
suspira, aliviada e segura;
uma lágrima feliz terá corrido rápida,
fazendo ponto final, no seu papel genial.
por ela somos benditos também, quem não diria

Amém?

Enquanto os filhos da morte,
envergonhados, insistem em combater
de boca em boca, de casa em casa,
corre veloz a Notícia Feliz:

"Ressuscitou!!!"

Quem crê, saia depressa, correndo
atrás de Madalena, de Pedro, de João...
A Vitória será sempre da Vida!
E cada esforço, cada luta,
cada gota de sangue derramado
pela Justiça não terá sido em vão...

A última palavra será: Ressurreição!

FELIZ PÁSCOA!