Propósito da série

Em busca da Libertação Final


As postagens da série Em busca da Libertação Final vêm causando reações um pouco intempestivas em alguns leitores. Reações essas que eu não poderia chamar de surpreendentes. Me surpreenderia, isso sim, se ninguém manifestasse surpresa, dúvidas, indignação... Se o conteúdo dessas postagens não causasse nenhuma reação calorosa eu ficaria surpreso. É que sei o quanto dói tocar na ferida, o quanto é difícil olhar para dentro de si, o quanto pode ser duro falar da Verdade, de verdade. E, puxa, incrível como não é óbvio para todo mundo que buscar a Verdade implica encarar todas as expressões da verdade, sem medo. - Bem, a sabedoria popular já descobriu, há tempos, que "a verdade dói". - Por tudo isso resolvi reproduzir em forma de post a minha resposta a essas indagações, porque sei que nem todos lêem os comentários (embora a maioria o faça). Acho importante esclarecer as coisas, afinal, em momentos como este, é fácil passar a impressão errada. Lá vamos nós...

O que estou fazendo é levar a minha busca espiritual a todos que queiram, possam ou se identifiquem com ela. O meu tipo de busca espiritual. Foi assim que eu sempre busquei a Deus. Indo até às últimas consequências. É bem extremo, sim, mas vale à pena.

É fácil mostrar só o lado bonito, o lado fácil e óbvio de uma história. A grande maioria faz isso. Para os que desejam ler sobre defesa da fé, existem muitos sites excelentes com material desse tipo; basta uma pesquisa rápida para encontrar dezenas deles. Mas aqui é um espaço dedicado à busca interior, - intensa, profunda, verdadeira, - do tipo que não se detêm diante de nada, a não ser da Verdade. Não posso basear minhas certezas na certeza de outras pessoas. As coisas não funcionam assim para os que se aventuram na Grande Jornada.

Se as coisas que eu estou mostrando nessas postagens não existem, se são mentiras e eu estou equivocado, desde já me desculpo. Mas se são verdadeiras, encará-las de frente e com coragem só poderá levar a um de dois resultados: a perda da fé ou... O fortalecimento absoluto da fé. Mais que isso: à transformação de fé em certeza. Se nós não discutirmos sobre as coisas difíceis num espaço como este, se eu pintar um mundo lindo e cor-de-rosa (porém de mentira) por aqui, você vai se alegrar. Mas depois vai sair, olhar o mundo lá fora e ver o feio e o cinza, e nada vai fazer sentido. Agora, se você tiver coragem para falar dessas coisas num espaço como este, olhar para o lado tenebroso da vida bem de frente, encarar os olhos da fera e dizer: "Me mostre tudo o que você tem, quero saber o que você é de verdade!", aí, então, talvez você consiga se libertar de uma vez para sempre.

Nesse processo, há o risco de se perder a fé? Sim, talvez (embora eu não acredite que isso seja possível para aqueles predestinados a encontrar a Luz desde antes do princípio dos tempos, - o que já é uma outra longa conversa). Por outro lado, se os riscos existem, também é verdade que a possibilidade de encontrar a si mesmo (e por conseguinte encontrar DEUS) de um modo único, definitivo, transformador e profundamente benéfico, também existe.

Para mim, o risco sempre valeu e continua valendo a pena. Quem não tiver coragem é livre para voltar para casa e voltar a se aninhar naquele sofá confortável, que fica na sala das falsas certezas e sempre será uma opção. O que estou propondo por aqui, - desde o começo, aliás, - é que não nos conformemos com nada menor que a certeza; verdadeira, definitiva e final.



( Comentar este post __ Ver os últimos comentários