O "Ponto Deus"


A espiritualidade pertence ao gênero humano. As religiões parecem ser expressões do nosso ‘Ponto Deus‘, que se localiza em nossos cérebros. Já andei falando sobre esse assunto aqui no blog, mas faltava uma aprofundação. Então, aí vai...

Uma frente avançada das ciências, hoje, é constituída pelo estudo do cérebro e de suas múltiplas inteligências. Com esses estudos, alcançaram-se resultados relevantes também para a espiritualidade. Pesquisadores exponenciais e experts em neurociência enfatizam três tipos de inteligência:

#1 - A Inteligência Intelectual, o famoso QI (Quociente de Inteligência), que representa a capacidade analítica pela qual elaboramos conceitos e fazemos ciência. Com ela organizamos o mundo e solucionamos problemas objetivos. A esse tipo de inteligência se atribuiu a maior importância em todo o século XX, mas ela vem perdendo status entre os especialistas nos últimos tempos: do que adianta o sujeito saber resolver uma série de testes matemáticos em poucos minutos se ele não souber se relacionar com os seus semelhantes ou se não conseguir se expressar emocionalmente, por exemplo?

#2 - A chamada Inteligência Emocional, popularizada especialmente pelo psicólogo e neurocientista de Harvard, David Goleman, com seu conhecido livro "A Inteligência Emocional" - QE = Quociente Emocional. - Empiricamente, Goleman demostrou aquilo que já era a convicção de toda uma tradição de pensadores, desde Platão, passando por Santo Agostinho e culminando em Freud: a estrutura de base do ser humano não é razão (logos) mas a emoção (pathos). - Demorou pros homens de avental branco se tocarem...

Somos, primariamente, seres de paixão, empatia e compaixão, e só depois, de razão. Quando combinamos QI com QE, aí sim conseguimos nos mobilizar a nós e aos outros.

# 3 - Mas há um terceiro tipo de inteligência, que muito interessa aos frequentadores deste espaço: a terceira é a Inteligência Espiritual.

A prova empírica de sua existência deriva de pesquisas mais recentes, dos últimos 10 anos, mas também feitas por neurólogos, neuropsicólogos, neurolingüistas e técnicos em magnetoencefalografia (que estudam os campos magnéticos e elétricos do cérebro). - Segundo esses cientistas, existe em nós, cientificamente verificável, um outro tipo de inteligência, pela qual não só captamos fatos, idéias e emoções, mas percebemos os contextos maiores de nossas vidas, totalidades significativas, e nos faz sentir inseridos no Todo.

Essa é a inteligência que nos torna sensíveis aos valores éticos e morais, às questões ligadas a Deus e à transcendência. Passou a ser designada Inteligência Espiritual - QEs = Quociente espiritual - porque é próprio do que chamamos espiritualidade captar as totalidades e se orientar por visões transcendentais.

Mas essa inteligência é mesmo reconhecida científicamente? Sim, hoje já se pode afirmar isso, embora não haja consenso entre os homens de avental, assim como não existe consenso entre eles sobre praticamente nada. A base empírica da Inteligência Espiritual reside na biologia dos nossos neurônios. Verificou-se cientificamente que a experiência unificadora se origina de oscilações neurais a 40 herz, especialmente localizada nos lobos temporais. Desencadeia-se no cérebro humano (e apenas no cérebro humano), quando submetido artificialmente a esse nível de excitação neural, uma experiência de exaltação fora do normal e de uma intensa e arrebatadora alegria, como se estivéssemos diante de uma Presença viva.




O mais interessante é que, inversamente, sempre que se abordam temas religiosos, especialmente à concepção de Deus ou dos valores que concernem o sentido profundo das coisas, - não superficialmente mas num envolvimento sincero, - produz-se igual excitação de 40 herz. Apesar de essas descobertas serem relativamente recentes, tudo isso já foi medido e comprovado em laboratório e está registrado em publicações científicas.

Por essa razão, neurobiólogos como Persinger, Ramachandran e a física quântica Danah Zohar batizaram essa região dos lobos temporais de ‘Ponto Deus’.

Se assim é, podemos dizer, em termos do nosso processo evolucionário, que o Universo e a vida evoluiram, em bilhões de anos, até produzir no cérebro humano o instrumento que o capacita a perceber a Presença de Deus, que sempre esteve lá embora não percebível conscientemente! A existência desse ‘Ponto Deus’ representa uma vantagem evolutiva de nossa espécie homo que não se observa em nenhuma outra! Respondendo à antiga pergunta: Você é um macaco ou um parente dele? Não! Somos mesmo especiais, em todos os sentidos, e não há como se ignorar este fato concreto e científico.

A percepção do Divino constitui uma referência de sentido para a nossa vida. A espiritualidade pertence ao ser humano como "espécie" e não é monopólio das religiões. Antes, as religiões são uma expressão do ‘Ponto Deus’.

Parabéns, você, ser humano que leu até aqui. E namastê! O que há de divino em mim saúda o que há de divino em você!



Fontes e bibliografia:

Live Science ;
Site
Mondo Estudo;
Drª Sabrina Fonseca;
Dr. Walter Valdevino;
Contém trechos de matéria de Jota Mossad para o Jornal
Terra - JB Online.



( Comentar este post