Boas Novas: nossa grandeza e nossa responsabilidade!

Os Evangelhos, que no grego significam "Boas Novas", são uma fonte inesgotável de aprendizado e Graça. A cada vez que leio os seus versos, novas realidades se apresentam diante dos meus olhos e do meu entendimento. Em cada pequeno trecho dessas boas novas escritas, mesmo onde não imaginamos, há sempre material para uma reflexão espiritual maravilhosa, ou para uma meditação profunda. Por isso, mesmo eu sendo um buscador meio maluco, não sou tão insano a ponto de pensar que seria capaz de esgotar todas as possibilidades, todas as interpretações ou toda a Luz que esses textos sagrados podem nos oferecer.

Da primeira parte publicada neste blog, achei que seria imprescindível esclarecer a questão da tradução e principalmente do entendimento, tantas vezes equivocado, a respeito do termo "pobres de espírito". Claro e evidente que haveria muito mais, muito mais mesmo a ser dito sobre o primeiro trecho do Evangelho segundo Matheus que eu publiquei primeiro, mas eu receio que um só blog não seria suficiente para esgotar o assunto...

Quem são os que choram? E os mansos? E os que têm fome e sede de justiça? Quem são os misericordiosos? Que significa ser puro? O que é ser um pacificador? Quem são os que sofrem perseguição por causa da justiça? Quem está sendo injuriado e perseguido por causa do Cristo? Qual é o "galardão" que nos aguarda? Que significa isso?..


Bem, bem... o Caminho pode ser estreito, mas o fardo é leve, e a caminhada é bela e apaixonante! A postagem está lá, e, principalmente, os Evangelhos estão aí. Leiam, meditem e busquem o seu entendimento; esta é a minha dica. - Alguns reclamam e/ou dão as costas a Jesus, pelo fato de ele não ter deixado instruções mais específicas e precisas a respeito de como se conquista o Reino do Céu, ou de como segui-lo. Será que ele não o fez? - Ocorre que existem muitas religiões que se propõem a ensinar todo tipo de técnica, métodos e práticas espirituais para nos ajudar a vencer as nossas dificuldades; algumas nos dizem exatamente o que fazer em cada situação desta vida e outras até nos contam em minúcias o que vai acontecer depois dela. Jesus faz diferente: ele nos deixa dicas, nos dá o mapa do tesouro com setas apontando a direção a seguir. E diz: "Confiem em mim, descubram por si mesmos, e venham com as suas próprias pernas".

A tarefa de descobrir os comos, porquês e quandos da vida, foi deixada ao nosso encargo. Isso é liberdade! E a libertação final virá quando, um dia, tivermos decifrado esses pequenos e grandes enigmas desta vida. Mas é preciso trabalho, oração, vigília... Jesus não nos deixou sós, mas ele não nos deu um manual detalhado, e sim deixou pistas, e parece esperar que montemos o nosso grande quebra-cabeças. E isso é um trabalho individual de cada um. Então prefiro deixar esse trabalho a cargo de cada buscador, ao menos por hora. Vamos a sequência dos Evangelhos, como proposta, e eu continuo comentando o que achar que posso...


"Vós sois o sal da terra; se o sal for insípido, com que se há de salgar, ou como se haverá de restaurar-lhe o sabor? Para nada mais presta, senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade que foi edificada sobre um monte;

Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus."




Tradução "Almeida Revisada Imprensa Bíblica"



( Comentar este post