É Natal!!

"Será chamado 'Maravilhoso'!" - Simon Dewey


"Nele estava a Vida, e a Vida era a Luz dos homens; e a Luz resplandesce nas trevas, e as trevas não a compreenderam."
- João, 1:4-5


Chegou o grande dia. O dia do eterno (Re)Nascimento. Dia da Renovação. Da chegada da Luz que resplandece nas trevas, trevas que não a reconheceram, e infelizmente, ainda não a reconhecem. Mas, depois desse dia, o dia em que a Luz brilhou no meio das trevas, nada mais voltou a ser o mesmo de antes, nos corações daqueles que têm boa vontade.

Infelizmente, hoje, eu vejo o Natal sendo contestado. No mundo e no meu país, os cristãos encontram-se tão divididos que nem entre estes há consenso, e nem mesmo sobre o Natal.

Algumas denominações protestantes/evangélicas condenam a comemoração do Natal. No bairro vizinho ao que eu moro há um luxuoso conjunto de prédios, que todos os anos, desde que eu era adolescente, se enfeita com luzes de cima abaixo nesta época do ano. Lembro-me de levar os meus filhos para ver as luzes, todos os anos. Algumas anos foi colocada uma decoração mais elaborada, com bonecos de neve, torres de neve artificial, caixas de som reproduzindo músicas natalinas...

Hoje, isso não está mais acontecendo. Em frente a esse condomínio há um parque no qual eu corro quase todas as noites, e eu pude perceber que esse ano há alguns andares, nesses prédios, “furando” a decoração natalina. O conjunto agora não fica mais completamente enfeitado, começam a surgir algumas falhas na decoração. Isto é, alguns andares não permitem a colocação das luzes. Ouvi uma menina perguntando ao porteiro: “Porque não tem luz naquele?” e a resposta do segurança: “O dono daquele apartamento é ‘evangélico’.”...

Honestamente, eu não consigo entender que pecado pode se ver num cristão comemorando a natividade do Cristo com luzes e cores. Gostaria que alguma dessas pessoas me mostrasse na Bílblia onde está escrito que comemorar o Natal é pecado.

Mas eu sei que existem três razões principais para se contestar o Natal...

Contestação ao Natal #1: “Jesus Cristo não nasceu no dia 25 de Dezembro. Essa era a data de uma festa pagã da qual a igreja católica 'se apoderou', pra tentar converter as pessoas ao cristianismo!”...

Sim, isso é certo, as festividades em Dezembro já existiam no atual Ocidente. Havia uma grande celebração festejada antes da entrada do cristianismo na Europa, e exatamente por isso tornou-se uma festa na qual convergiram e coincidiram tradições pagãs e cristãs. Para os Europeus antigos, na raiz desta festa estava a celebração do Solstício de Inverno, isto é, do momento em que o Sol, depois dos seis meses de declínio, reinicia a sua ascensão. Por isso também se chamava “Natal do Sol Invictus”, que vem de “Nascimento” e é de raiz latina, como a própria Língua Portuguesa, que é, como se sabe, de ascendência romana. Significava para os pagãos o nascimento do novo ano solar. Simbolizava também o encerramento do ano de colheitas e o início de um novo ano, para que as sementes brotassem e dessem seus frutos abundantemente. Os cristãos aproveitaram a comemoração para torná-la a data-símbolo do nascimento de Jesus Cristo.

Trata-se pois, na tradição européia original, da “Festa do Nascimento da Luz” e também a "Festa da Renovação da Vida". Para os cristãos, a "Festa do Nascimento" daquele que traz a Luz e a nova Vida ao mundo. Qual o problema?

Por isso, quanto à contestação do Natal em razão de não ser a data correta do nascimento de Jesus, eu simplesmente pergunto: E daí?? Que diferença realmente importante faria sabermos se ele nasceu em Janeiro, Março, Junho, Setembro ou...? Que diferença isso faz? Qual a importância da data correta? O sentido dessa celebração não tem nada a ver com a matemática, nem com a História ou com as coisas exatas. Tem a ver com tudo que é humano, sutil e inefável em nós. Como seria bom se pudéssemos deixar os e as diferenças pra lá, ao menos nesse dia...

E depois, o fato de ter unido cristãos e não-cristãos em torno de uma mesma celebração só tornou a data ainda mais bela, porque a tornou universal.


Contestação ao Natal #2: "O Natal virou puro comércio. Ninguém está mais nem aí para o sentido interior profundo dessa festa. Todos só querem saber de consumir, comprar e vender... A figura do Cristo foi completamente substituída pela do 'Papai Noel' e a data religiosa é só um pretexto para o lucro."

Mais uma vez, isso é verdade. A mais pura verdade. Fora das igrejas, não vejo ninguém falar em espiritualidade ou no “aniversariante” simbolicamente representado. Só que, de novo, eu vejo aí um motivo a mais para se comemorar corretamente o Natal. Se todos estão perdidos, vagando no meio do escuro e sem direção, mais um excelente motivo para fazermos, nós, a coisa certa, e darmos o exemplo de como deveria ser uma celebração verdadeiramente espiritualizada. Não encher a cara, não gastar além da conta, lembrar dos menos favorecidos, cultivar a paz e a amizade, não deixar de reservar pelo menos alguns minutos desse dia especial para uma oração e/ou meditação em Cristo... Isso já seria suficiente para tornar a data menos carnal/materialista/consumista e mais próxima do seu real significado.


Contestação ao Natal #3: "Festas não são coisas boas". Quanto a essa contestação não tenho muito a comentar. Esse é o tipo de pensamento que só as denominações "cristãs" mais radicais (que infelizmente andam em alta no nosso país) adotam. Uma festa pode ser o que você quiser. Pode ser um encontro familiar, uma reunião de amigos muito especiais, com oração e Amor fraterno unindo os corações. Pode ser uma celebração onde todos estejam unidos num verdadeiro sentimento crístico... E também pode ser um “carnaval” de comilança e álcool, com todo tipo de excesso e brigas entre parentes para temperar (que infelizmente é o que mais se vê). Mas o que vai ser a sua celebração de Natal só depende de você. Como em quase tudo nesta vida, isso é uma escolha. Se cada um fizesse a sua própria escolha sem se preocupar tanto com regras separatistas ditadas por líderes religiosos...

Enfim, eu, que acredito e gosto, procuro aproveitar o Natal ao máximo, do meu jeito, junto com a minha família, minha esposa amada e meus filhos, enquanto posso. E procuro sempre a União em todas as situações. Se alguém se perturbar por causa das luzes, eu posso retirá-las. Se alguém se incomodar com a decoração, eu posso desmontar tudo. Mas o sentido interior do Natal, a benção imaterial, inefável e verdadeiramente luminosa da Natividade da Verdade, isso eu nunca abandonarei.


Ontem, eu ouvi os melhores votos de "Feliz Natal" que alguém poderia receber - alguém muito especial me disse: "Um santo Natal para você!"."Santo" quer dizer "separado para Deus", e quer dizer também "outro". E este é também o meu desejo para todos vocês. Um Natal separado de todo o mal, todo o ódio, toda inveja, toda mesquinharia, todo materialismo fútil, toda intriga, todo apego, todo sentimento de divisão. Um outro Natal, com muito Amor e Paz. Se buscarmos primeiro isso, as outras coisas virão por acréscimo.


Tenham um santo Natal!


"Este menino será Luz para 'as gentes'" - Greg Olsen



( Comentar no Livro de Mensagens