Serviço sagrado








Este post pode ser entendido como uma continuação do anterior. Antes falei em devoção, Amor a Deus, que para mim significa Amor à existência, à Vida, aos seres vivos, ao meu próximo e também a mim mesmo... Enfim, ser feliz. Agora vou falar de Serviço.

Fé implica confiança. Fé plena = confiança plena. Da confiança nasce o Amor, que é a maior de todas as virtudes. E o Amor se reflete nas obras. O Amor dá seus próprios frutos. Qual é o maior? O que é mais importante? A fé, a devoção, as práticas espirituais, o serviço(boas obras)?..

Há tempos eu aprendi, como já disse aqui, que a mais perfeita de todas as práticas é o serviço ao próximo. Mais do que a meditação, os cuidados com o corpo físico ou uma alimentação equilibrada. Mais do que o estudo, mais do que quaisquer esforços para o auto-aperfeiçoamento... simplesmente porque não existe melhor forma de meditação, não existe nada que faça tão bem à alma nem aprendizado maior ou maneira mais eficiente de auto-aperfeiçoamento do que o servir.

Algo dentro de mim mudou quando eu aprendi o valor de fazer algo bom pelo meu próximo. Tudo que eu já tinha estudado, tudo que eu já tinha lido, Buda falando em compaixão, Jesus falando em Amor incondicional… as palavras mortas no papel ganharam vida naquele momento. A Verdade desvelou-se diante dos meus olhos, de uma maneira totalmente nova, completa, quando eu passei a me dedicar a prática do bem.

"Homem algum é uma ilha, completo em si mesmo;
todo homem é um fragmento do continente,
uma parte do oceano."

"A morte de cada homem me enfraquece;
porque sou uma parte da humanidade;
assim, nunca perguntes por quem o sino dobra;
ele dobra por ti."
– John Donne, Meditação 17

Se eu amo a Deus, então esse Amor vai, fatalmente, inexoravelmente, me levar às boas obras, ao serviço altruísta em beneficio do meu próximo. O egoísmo é a raiz de todos os males, toda a tristeza e todo o sofrimento. O seu oposto é o desapego, que significa a vitória sobre o ego, a liberação do mundo de Maya e a salvação da alma...

"Não façais ao vosso próximo o que, se fosse feito a vós, causaria dor." – Mahabharata (Livro sagrado hindu).

"O que não queres que vos façam, não façais aos outros." - Hilel (rabino judeu).
"Aquilo que não desejas para ti, também não o faças às outras pessoas." - Confúcio.

"Não firais ao próximo com o que vos fere." - Sidarta Gutama (o Buda).

"Quando o amor e a compaixão estão incorporados a nós, nossa afeição pelos seres é tal que não suportamos aspirar somente a nossa libertação pessoal." – Sutra da Compaixão (tibetano).

"Ama o teu próximo como a ti mesmo. - O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles." – Jesus de Nazaré (o Cristo).

"Nenhum de vós sereis um crente, enquanto não devotardes pelo próximo o mesmo Amor que devotais a vós próprios". – Maomé.

Básico, universal, simples e garantido. Mas, mais do que falar, é preciso agir. “Mostra-me a tua fé sem obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras" (Thiago, 2:18). Nem todos precisamos (ou podemos) ser Francisco de Assis ou Teresa de Calcutá. Cada ser humano é um Universo diferente. Cada um nasceu com capacidades e talentos deferentes. É assim que as coisas são. Mas se cada um de nós fizesse ao menos a sua pequena parte...

Faça. Faça a ao menos a sua parte. E se você puder fazer um pouquinho a mais, tenha a certeza de que o mundo se tornará um lugar muito melhor.

Por isso é que não creio no valor de livros como “The Secret”. Por que a questão não é O que eu posso conseguir obter do Universo? A questão realmente importante é O que eu posso doar ao universo? "É mais bem aventurado o que dá do do que o que recebe" (Atos, 20:35). Eis mais uma grande revelação da Verdade, uma autêntica iluminação que foi dada à humanidade. Mesmo no sentido prático e imediato, dar é melhor do que receber; porque quase sempre quem dá mais acaba por receber mais.

Cada pequeno gesto não é pouco. Seja gentil. Presenteie a quem você ama, e principalmente a quem você não ama. Dê uma bala, dê um abraço... de graça, sem esperar nada em troca. Faça pequenos agrados às pessoas que o cercam. Diga palavras de apoio a quem anda desanimado. Ajude a quem pede ajuda (e também a quem não pede, se você perceber que ele está precisando). Fale em Deus, carregue e espalhe esperança. Seja positivo. Seja otimista. Tenha fé. Aponte o lado luminoso da vida. Compartilhe os seus conhecimentos. Compartilhe os seus bens. Aí está a verdadeira felicidade.

Não trabalhe só pelo dinheiro. Não viva só pelo dinheiro. Possua, mas não seja possuído por nada. Não trabalhe sempre apenas pelo pagamento. Não faça coisas somente por causa da recompensa imediata. Não há nada de errado em se fazer algo em troca de pagamento. Na verdade nua e crua, somos nós todos ao menos um pouco egoístas. Como diz Richard Bach, autor de “Fernão Capelo Gaivota” e “Ilusões”, “somos todos ‘divinamente egoístas’”, e o egoísmo não tem que ser visto como algo necessariamente ruim, sempre. A maioria de nós só trabalha ou mesmo faz coisas boas esperando algo em troca, quase sempre, ainda que seja uma recompensa espiritual no futuro. E eu repito: Não há nada de errado nisso. Este é um comportamento humano perfeitamente normal. Mas, às vezes, a maior recompensa acontece quando praticamos o gratuito. Quando praticamos o bem pelo bem em si, quando paramos para apenas prestar atenção no contentamento do outro, à alegria de uma criança que ganhou um doce, o sorriso de um velho que ganha um bom dia. Faça a vida mais doce para o seu próximo. Faça o bem e você será mais feliz.

O que você poderia fazer pelo seu próximo, com prazer e sem abdicar de suas outras responsabilidades? Comece agora, e em pouco tempo você verá que, na Verdade, não há responsabilidade nem prazer maior do que o serviço ao próximo, pelo serviço em si. Comece dando o primeiro passo, e depois um novo passo de cada vez. Compre o pacotinho de bala que o garoto está vendendo dentro da condução. Perca(?) um tempo para conversar com aquela vizinha carente que mora sozinha e implora um pouquinho de atenção. Elogie quem anda com a auto-estima em baixa - todos nós temos alguma qualidade pra ser exaltada, e se você procurar com cuidado, vai achar algo de bom para elogiar mesmo em alguém que à primeira vista não nos agrada em nada. - Tenha paciência com os que são inconvenientes. Divida os seus conhecimentos, ensine as coisas que aprendeu. Seja pai, mãe e irmão do seu próximo. Assuma o seu lugar na grande família humana. Devoção + Serviço, eis a perfeição do Caminho.

O que você poderia fazer de bom pelo seu próximo, hoje? O que você poderia fazer de bom pelo seu próximo, agora?