Homens, máquinas ou homens máquinas?





"Pinker, Sagan, Dawkins, Dennet,
bate regrado o relógio
no seu ti-tac conformado.
O mundo está explicado na bula do remédio,
mas assim mesmo, que surpresa,
rebelde resiste o endereço do tédio!

Do big-bang à rotina
ser ou não ser virou questão de memória,
e ser virou certeza,
Igual a estar a laranja sobre a mesa.
'A proposição perfeita vos libertará',
mo dizem os novos sacerdotes.
E meu amigo Nypoa proclama: 'transcender é banal'.

Tudo é matematicamente explicável,
mas minha alma continua errando a conta.
Não sei somar Pinker Sagan Dawkins Dennet.
Não sei que o argumento perfeito far-me-á digno.
Não sei que o paraíso é racional.
Não sei que as lágrimas têm sal.
mas sei, como Pessoa ao ver o mar,
quanto de seu sal é das lágrimas de Portugal.

Busco alguma cabala no meu CPF.
No número da minha casa.
No número da minha OAB.
No número da minha identidade.
No número do meu processo.
No número da minha matrícula.
No número do protocolo.
No número da minha conta.
No número do meu cartão de crédito.
Há em mim um maremoto que desmente essa ordem,
uma angústia ontológica que me inunda.
Mas dizem-me Pinker Sagan Dawkins Dennet: 'água? é só H2O!'..

Tudo tão arrumado, tudo tão explicado, tudo tão perfeito;
Todos são príncipes, como dizia Pessoa,
e só eu sofro por continuar a ter 'eu'.
só eu ainda acredito na mentira de 'eu ser-me'.
sem saber da guinada linguística,
sem saber da revolução neural,
sem saber que o 'eu' é só a ilusão que se ilude,
sem saber que Descartes e Agostinho estão superados.
Tão estúpido sou que tampouco sei
que um bom comprimido vale mais que a filosofia.
Ainda persisto na na minha auto-evidência,
sem saber que isso é passado.

Pinker, Sagan, Dawkins, Dennet,
bate regrado o relógio,
no seu tic-tac arrumado."



Victor



Recebi este poema de um amigo muito especial, o autor do (belo) blog Consciência do Eu, onde a realidade adquire seu sentido pleno diante de um olhar pessoal. Achei que tinha tudo a ver com a minha proposta aqui no a Arte das artes, e que valeria à pena compartilhar por aqui.