Bhakti Yoga - o caminho da devoção




"Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu pensamento. Esse é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a esse, é: amarás o teu próximo como a ti mesmo. Desses dois mandamentos depende toda a Lei e os profetas." - Mateus, 22:37-39


Sim. Isto resume tudo. E talvez uma das ferramentas mais úteis que eu já encontrei para me aperfeiçoar (internamente) nesta prática tenha tenha sido o Yoga, uma disciplina que surgiu na minha vida bem antes do reencontro definitivo com Jesus Cristo.

Chama-se "Bhakti Yoga" a devoção ao Reino Divino através da adoração e do Amor. Bhakta é como se chama o devoto que, na adoração de uma imagem/expressão de Deus, entra em êxtase. Ele experimenta a mais intensa felicidade quando abrasado no Amor Divino, e nesse momento se esquece do ego; se esquece de tudo e exulta, bem-aventurado, consumido e arrebatado nesta Graça incomparável.

O Amor reduz a distância. A adoração unifica o devoto com o Objeto de sua devoção. Humilde e amoroso, o bhakta vê Deus como Pai, Mãe, Próximo, Amigo... Quando ele ora, sua prece é declaração de amor. Ele medita somente para, meditando, buscar uma proximidade cada vez maior com o Amado.

O bhakta sabe amar a tudo e a todos e, amando tudo e todos, ama o Todo.

Bhakti é amor irrestrito e doação total. Nada pede. Nada espera. Nada reclama. Não aspira reciprocidade e nem mesmo o prazer incomparável resultante desse intenso amar.

Mas os professores alertam o bhakta quanto aos desvios, e a que tipo de desequilíbrio a devoção pode levá-lo. Se não houver "viveka", isto é, discernimento, o bhakta corre o risco de resvalar para o fanatismo. De novo a importância do Caminho do Meio... mas por que é que alguém não deveria "mergulhar de cabeça" em alguma coisa realmente boa? Um dos problemas aqui é que o fanático não admite outra expressão da Divindade que não seja aquela que ele adora. Devotos fanáticos têm ensangüentado campos de batalha em suspeitas “guerras santas”.

Enquanto o fanatismo cega, o discernimento ilumina.

Além disso, o maior perigo é que mesmo o Bhakti Yoga pode corromper, gerando beatos inoperantes e indiferentes aos dramas de seu mundo, total e egoisticamente entregues às delícias da adoração e ao fervor dos rituais, estacionando seu crescimento espiritual neste ponto, quando o nosso objetivo neste mundo deveria ser ir bem além disso. Mais uma vez, a mensagem de Jesus é perfeita, nos lembrando inúmeras vezes que apenas a adoração, por si só, não é o verdadeiro Caminho: "Nem todos os que apenas dizem 'Senhor, Senhor', entrarão no Reino". "Por que me chamam 'Senhor' e não fazem o que eu digo?". Aqui devo confessar que eu fui um desses, que ao me deparar com as delícias da devoção interior, profunda e arrebatadora, me levando além de todos os problemas do difícil cotidiano, esqueci-me do Serviço ao próximo. Quando conheci o Serviço, percebi que na realidade não havia melhor maneira de devoção, e foi aí que verdadeiramente renasci, quando encontrei Deus, tão próximo, dizendo: "Estou em cada um destes pequeninos". Mas tudo tem o seu espaço e o seu tempo na vida de um buscador sincero.

Um verdadeiro bhakta torna o seu servir oração. Ama o Deus dos homens servindo aos homens de Deus, seus irmãos. O bhakta ama todas as expressões da vida que o circunda, pois tudo que vive e a própria vida são expressões de Deus; mas onde mais O adora é no altar de seu limpo, bom e ardente coração devoto.


Prece de Bhakta

Sou ovelha desgarrada. Meu Pastor, resgata-me.

Sou um filho retornando ao Lar. Concede-me a graça de receber-me, meu Pai.

Sou frágil criança perdida na multidão. Vem, Mãe Divina, apanhar-me.

Sou vazio. Vem, Plenitude, preencher-me.

Sou pobre. Vem, Riqueza Pura, enriquecer-me.

Sou peregrino buscando o perdido rumo, na treva e na distância. Vem, Luz, dar-me direção.

Andando estou há muito tempo, trazendo em mim a ânsia por chegar. Minhas forças são limitadas. Vem, Alento, reerguer-me.

Pai, Mãe, Amor, Alento e Luz, sinto Tua ausência. Teu silêncio dói. Tua distância angustia.

Concede-me Tua graça.

Desvela-Te.

Faze-Te presença a meus olhos, ainda na penumbra.

Faze-Te canção a meus ouvidos vazios.

Amor Divino, nutre meu coração necessitado.

Paz Infinita, afasta meus conflitos.

Sabedoria Absoluta, ilumina-me.

Água Viva, sacia-me.

Porta, abre-te.

Dolorida ausência, faze-te Presença.

Deus, liberta-me. Salva-me...

Deus, ensina-me a verdadeira devoção.

Mostra-Te a mim em tudo.

Aparece-me como o Todo.

Corrige meu humano amor ainda mesquinho, ainda apegado, ainda limitado, ainda míope...

Pai, Mãe, Amor... perdoa meu imperfeito amar.

Torna-me um bem-aventurado devoto.




Post baseado no livro "Yoga, Caminho para Deus", do professor José Hermógenes.